• Redação

Coluna da Débora: Bíblia - Parte ll

Olá, catequistas!

Que alegria conversar com vocês novamente!


Em nossa última conversa, iniciamos o assunto sobre a importância da Bíblia na catequese e ficamos de aprofundar o tema da formação bíblica de catequistas. Então, chega mais perto e vamos conversar!


O Diretório para a Catequese (2020) apresenta a formação bíblica dentro da dimensão do saber do catequista e aponta alguns aspectos importantes que precisam ser contemplados ao se pensar os itinerários formativos.


Se o catequista é “um mestre que ensina a fé” (DC, 143) é preciso pensar a formação de modo que lhe ajude a compreender a mensagem bíblica e poder relaciona-la com o contexto em que vive. Não se trata de uma leitura fundamentalista do texto, antes a formação precisa ajudar a transmitir a hermenêutica do Magistério, ou seja, ensinar a ler a Bíblia com a Igreja e como a Igreja lê.


A formação de catequistas precisa ser fortemente bíblica, primando por uma qualidade bíblica que ajude-os a “abeirar-se das Escrituras na fé e na Tradição da Igreja de modo que aquelas palavras sejam sentidas vivas (...) para que cada fiel reconheça que a sua vida pessoal pertence também àquela história” (VD, 74).


Podemos dizer que a formação bíblica facilitará o acesso do catequista ao texto e também sua compreensão. É preciso que se conheça as grandes etapas da história da salvação (Antigo e Novo Testamento), que se aprofunde a mensagem evangélica e o desenvolvimento das primeiras comunidades com suas vidas alicerçadas na Palavra de Deus.


Conhecer as narrativas bíblicas e favorecer sua compreensão pelos catequizandos é enfatizar a dimensão bíblica da catequese, quando nos é possível ler nossa vida nas Escrituras e ler as Escrituras em nossa vida.


Por isso, querido(a) catequista, busque sempre atualizar-se nos estudos bíblicos. Busque comentários e explicações que possam lhes ajudar a melhor compreender a época em que o texto surge, os costumes dos povos bíblicos, a religião por eles vivida e os problemas enfrentados. A Bíblia é também um livro para ser estudado, então façamos do estudo bíblico um dos nossos principais cuidados para bem nos preparamos para nossa missão de catequistas!


Dicas de leitura:


A Editora Vozes tem em seu catálogo bons títulos que nos ajudam a melhor conhecer a Bíblia.

Bíblia


Este livro resulta de uma pesquisa sistemática sobre a Bíblia, em suas diversas versões em português, e em seus originais hebraicos e gregos, e seu contexto histórico, literário e geográfico. A riqueza de seus resultados e descobertas ilumina ainda mais a compreensão da Bíblia nos dias de hoje. Este guia apresenta novos conhecimentos sobre a criação, o contexto e a transmissão de cada livro bíblico. Ao sistematizar esses resultados, o livro formula e responde mais de 1.000 perguntas sobre autores, atores, eventos e curiosidades, além de apresentar a origem e o significado dos nomes dos personagens e lugares bíblicos.

Bíblia, origem e sua leitura


Esta é a nova versão da sucinta introdução ao estudo bíblico, lançada em 1992 com o título A bíblia, sua história e sua leitura e refundida em 1997 com o título A Bíblia nas suas origens e hoje. A evolução da pesquisa bíblica e da prática de leitura e ensino urgiu a atualização da obra. A presente reformulação proporciona informação básica e orientações fundamentais para a leitura da Bíblia. Objetivando a visão de conjunto, fornece ao leitor um referencial para o estudo aprofundado. O roteiro se desenvolve como uma viagem ao âmbito original da Bíblia, para, com esse conhecimento, voltar ao momento presente.

Pentateuco


A única seção compartilhada entre o canon cristão e o canon judaico, o Pentateuco traz os traços constitutivos da fé e da identidade do Antigo Testamento. O Pentateuco, mais que o conjunto dos cinco primeiros livros das Escrituras, traz textos que revelam a composição da historia do Israel bíblico. Os temas e narrativas são compilados em uma verdadeira colcha de retalhos. Adentrar em tais livros possibilita entender a elaboração da história de um povo, sua identidade e os principais fundamentos. Seus personagens, normas e costumes, bem como a historia que possibilita a construção dos textos bíblicos resulta em uma redação de tendência unitária que busca exprimir a identidade e a fé de Israel.

Cartas deuteropaulinas e cartas católicas


Muitas vezes menos valorizadas nos estudos bíblicos, as cartas deuteropaulinas e as cartas católicas foram escritos responsáveis por edificar as primeiras comunidades cristãs, buscando construir uma identidade obediente ao evento fundador, Jesus Cristo, em diálogo com contextos culturais modificados. Assim também elas se constituem como fundamento para entendermos não apenas a fé das primeiras comunidades, mas a fé cristã, de forma geral. Este volume, além das cartas da primeira tradição paulina (2 Tessalonicenses, Efésios, Colossenses, aos quais a tradição associa Hebreus), também examina as da segunda(1–2 Timóteo e Tito) e as de Tiago, 1–2 Pedro e Judas.

Livros Sapienciais e Poéticos


Este volume da coleção Introdução aos estudos bíblicos trata dos livros da tradição sapiencial (Provérbios, Jo, Eclesiastes, Eclesiásticos e Sabedoria)e os livros da poesia hebraica (Salmos e Cântico dos Cânticos):juntos, eles representam um lugar onde a jornada da historia da salvação tem lugar nas outras partes do Antigo Testamento, particularmente no Pentateuco e nos Profetas. Lorenzin entende esse conjunto de livros na perspectiva cultural do antigo Oriente Médio e também do norte da África, sobretudo do Egito. A sabedoria bíblica indica que o contato dos israelitas com os povos vizinhos influenciou a escrita bíblica sapiencial.

Cartas Paulinas


O cristianismo foi substancialmente influenciado pela literatura paulina que formula entendimentos não somente acerca de Jesus Cristo, mas também de Deus, do ser humano, do Espírito e da Igreja. Os escritos paulinos, que serviram de base até mesmo para os evangelhos, marcam algumas rupturas, sobretudo naquilo que diz respeito ao entendimento do homem e de Jesus Cristo. Seguindo a ordem cronológica das cartas paulinas, Pitta oferece algumas informações para o leitor, como contexto histórico e conteúdos epistolares.

Livros históricos


O povo hebreu também narra sua historia, não no sentido historiográfico moderno, mas a partir de sua perspectiva bíblica. Os textos bíblicos, sobretudo aqueles escritos no período entre o final dos dois reinos, Israel e Judá, e o período posexilico, buscam construir a identidade do povo bíblico. Os livros que correspondem a Josué a 2Reis, Crônicas, Esdras e Neemias, Tobias, Judite, Ester e os livros de Macabeus, além do dialogo com a cultura e a historia do povo hebreu. Tal literatura não se ocupa unicamente das narrativas de um passado distante. Através da obra bíblica, cada geração e convidada a retomar o fio da narração, não para ressuscitar o passado, mas para descobrir a própria identidade, orientar o próprio caminho e lhe dar um destino.

Introdução geral às Escrituras


Volume introdutório da coleção Introdução aos Estudos Bíblicos, esta obra busca inserir o leitor no processo de construção dos textos bíblicos, analisando primeiro a Bíblia como um livro divino, e depois como um livro humano, passando pela formação histórica e literária da Bíblia. Para um bom estudo das Escrituras, Michelangelo Priotto oferece instrumentos de analise e perpassa por temas como a hermenêutica e critica literária, além de enfatizar a importância do contexto geográfico, histórico e literário para entender a mensagem divina que e transmitida a partir dos pressupostos e contextos humanos.

Livros Proféticos


Originalmente visto como vidente, homem de Deus, servo de Deus ou mensageiro, o profeta e aquele que comunica a presença de Deus em situações de crise. Em Israel a profecia se constituiu com bases comunitárias, transcendendo experiências isoladas para participar das estruturas da monarquia, sendo introduzida na corte, ou se opor a elas. Na qualidade de testemunha da verdade de Deus, o profeta oferece, a comunidade na qual esta inserido, critérios para entender os designíos de Deus. Nesta obra o leitor encontra as informações básicas sobre cada livro profético, contendo seu contexto histórico, conteúdo e principais chaves de leitura.

Débora Pupo é Coordenadora Regional da Dimensão Bíblico-Catequética do Regional Sul 2, da CNBB e autora da coleção "Crescer em Comunhão" e dos livros: "Catequese... Sobre o que estamos falando mesmo?" e "Celebrações no Itinerário Catequético... Sobre o que estamos falado?", todos publicados pela Editora Vozes. Bacharel em Teologia, pela Faculdade Missioneira do Paraná, a colunista também é mestre na mesma área, formada pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Curitiba, tendo como título de sua dissertação: "Iniciação Cristã e Catequese com adultos: um caminho para o discipulado".

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo