top of page
  • Redação

José: descendente de Davi, rei de Israel

Os profetas do Antigo Testamento diziam que o Messias (Jesus) faria parte dessa linhagem real. Uma das missões de José seria dar o nome de Jesus ao filho que iria criar, para que as profecias fossem cumpridas.


A Bíblia não apresenta muitos detalhes sobre a vida de José. Diz a tradição que ele era um homem simples, muito religioso, que trabalhava com móveis, prateleiras, entalhava madeira, provavelmente um carpinteiro. Diz ainda a tradição que ele nasceu em Belém e morreu em Nazaré. Sua presença não é citada pelos evangelistas durante as pregações de Jesus e nem no seu martírio, o que leva a crer que ele já havia morrido quando Jesus iniciou sua vida pública.


A partir da Idade Média a Igreja valorizou a figura de José, reconhecendo-o oficialmente como um importante santo do catolicismo. O Papa Pio IX o declarou padroeiro da Igreja (1870) e também foi designado como “advogado dos lares cristãos” e “modelo dos operários”.


A devoção a São José chegou ao Brasil junto com os portugueses. As primeiras igrejas construídas no país, no período de colonização, tinham nichos com sua imagem. É o santo protetor dos carpinteiros, dos lares católicos e da justiça social. É para ele que se deve rezar pedindo para ser amparado (a) na hora da morte.


Em 1955, São José foi homenageado pelo Papa Pio XII, tornando-se exemplo de trabalhador. Também passou a ser chamado, por seus devotos, de São José Operário, e a data comemorativa é 1º de maio (Dia do Trabalho).


As principais festividades dedicadas a São José no Brasil ocorrem mesmo em 19 de março. Nesse dia ele é lembrado em todas as paróquias, independentemente do santo que lhes dá o nome.


Em sua imagem ele é representado carregando o Filho Jesus ao colo, representando sua missão de educar e cuidar de Jesus. Em outras imagens ele aparece segurando lírios, que são símbolo da paz. Outra representação é calçando botas, em vez de sandálias – São José das Botas. Trata-se de uma homenagem à peregrinação do santo, que conduziu Maria e Jesus na fuga para o Egito.


Também é motivo de devoção ao santo o “Cordão de São José”, usado para a cura de doenças e também para livrar os devotos de aflições. Teve origem após um milagre realizado por São José no século XVII, na Bélgica.


No Convento das Agostinianas da cidade de Anvers vivia uma freira chamada Isabel Sillevorts, que sofria de cálculo renal. Como o tratamento não fazia efeito, ela pediu que um sacerdote benzesse um cordão e o amarrou no corpo. Abandonou os remédios, iniciou uma novena para São José. Dias depois ficou curada. A Igreja permitiu a devoção ao “Cordão de São José” e autorizou a fundação de confrarias dedicadas a propagar esse episódio do milagre (1649).

 

Sobre o livro:



São José, esposo de Maria e pai adotivo de Jesus, é um dos santos mais populares da Igreja Católica. Ele aceitou a mensagem divina recebida em um sonho, na qual um anjo lhe disse que Maria esperava um filho de Deus e que deveria se chamar Jesus. São José é considerado o protetor das famílias e o padroeiro dos carpinteiros , por ter exercido essa profissão durante toda a sua vida. Também é conhecido como o santo dos trabalhadores .Este pequeno livro contém a novena, as orações e a ladainha de São José. Durante os dias da novena os devotos refletirão sobre as passagens bíblicas.

64 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page