top of page
  • Redação

Maria, a mãe do Salvador



LEITURA ORANTE


  • Prepare-se para este encontro rezando o texto: Lc 1,28-38.

  • Reflita: Quais são as mensagens do anjo à Maria? Considerando que a alegria é um dos elementos da vivência do anúncio à Maria, como você a tem expressado na missão que realiza?

  • Contemple por alguns instantes uma imagem ou uma ilustração de Nossa Senhora. Medite sobre as consequências do “sim” de Maria.

  • Entoe um canto que você lembra que mencione Nossa Senhora e seu “sim” a Deus.

  • Reze uma Ave-Maria por todos os seus catequizandos e familiares, para que saibam também dizer “sim” a Deus, assim como fez Maria.


FUNDAMENTAÇÃO PARA O CATEQUISTA


É no Evangelho de Lucas, escrito entre os anos 75 e 90, que obtemos mais informações sobre Maria. O evangelista fala dela e do que aconteceu com ela, com extrema simplicidade. Em Lucas 1,26-28, o chamado de Maria inicia-se com a visita do anjo Gabriel, enviado por Deus: “Ave, cheia de graça!”.


A palavra “graça” é acompanhada por uma frase singular: “O Senhor está contigo”. Isso significa que Maria terá apoio incondicional para realizar o que Deus espera dela.


Com essas palavras, Maria “perturbou-se”, é verdade, diante do inesperado de sua vocação. Mas, generosa e reflexiva, soube dialogar com o mensageiro, procurando entender por que ela seria a favorecida de Deus. Gabriel a reanima, pedindo que não temesse, pois Deus a havia escolhido, não como privilégio, mas como agraciada com a maternidade messiânica: “Eis que conceberás e darás à luz um filho...”.


Maria compreende o que se realizará por intermédio dela, mas sua atitude disponível e responsável a leva a perguntar como isso se dará. O anjo responde que sua maternidade acontecerá por obra do Espírito Santo. Tomando consciência de que para Deus nada é impossível, ela abre seu coração e, de seus lábios, brota a resposta definitiva: “Faça-se em mim segundo a tua palavra”. Esta atitude de Maria é o ápice de sua vocação, manifestada na vontade de cumprir prontamente o que o Senhor anunciou.


A partir desse momento, o Salvador tão esperado está entre nós, homem como nós, nosso irmão. Maria, a primeira a crer em Jesus como Filho de Deus e Salvador do mundo, por sua vontade e entrega confiante, alegre, total e irrestrita à vontade de Deus, torna-se mãe de Cristo. Concebe-o em seu coração antes de concebê-lo em seu ventre. Ela é o modelo dos que ouvem e praticam a Palavra de Deus, como dirá mais tarde o próprio Jesus: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática” (Lc 8,21).


Cada um de nós tem “suas anunciações”, momentos privilegiados em que somos postos diante dos acontecimentos a que devemos dar respostas. Qual a nossa resposta? De amor generoso e alegre como o de Maria ou é uma resposta medrosa, hesitante, desconfiada, deixada para depois? Quando Deus nos chama, devemos responder logo porque alguém está precisando de nós; pois Deus, quando nos chama, está nos enviando em missão junto aos nossos irmãos.


O ENCONTRO


Materiais:


  • Bíblia e uma vela.

  • Imagem de Nossa Senhora.

  • Uma flor para cada catequizando.

  • Um vaso.


Para iniciar o encontro:


  • Inicie fazendo memória deste bloco. Davi surge como uma resposta de Deus ao povo pelo distanciamento do seu projeto. Assim também surgem os profetas, pois novamente o povo de Deus havia se distanciado do seu projeto. Surge a necessidade de Deus intervir mais uma vez, e assim Maria passa a fazer parte do seu plano de amor para o ser humano. Maria diz “sim” a Deus, e Jesus, o Messias esperado, nasce.

  • Lembre-os de que toda a caminhada de catequese que eles fizeram destaca a espera do Messias, d’Aquele que viria para salvar o povo. Jesus é esperado como o grande profeta de Deus.

  • Comente que hoje vamos falar sobre Maria, a Nossa Senhora. Pergunte se conhecem alguma história da vida de Nossa Senhora.


Crescer com a palavra:


  • Destaque que neste encontro falaremos de Maria como mãe de Jesus e nossa mãe, aquela que com seu “sim” ajudou Deus a cumprir o seu plano de amor por nós. Por isso ela é amada em nossa comunidade-Igreja e por todos os cristãos.

  • Comente que quando queremos bem uma pessoa, nós a acolhemos com todo o carinho. Hoje vamos acolher em nosso espaço de catequese a imagem de Nossa Senhora.

  • Oriente um catequizando a caminhar com a imagem de Nossa Senhora pela sala do encontro de catequese e depois colocá-la na mesa, previamente preparada.

  • Incentive para uma calorosa acolhida à Nossa Senhora. Podem bater palmas. Destaque que com essa acolhida queremos dizer que ela é bem-vinda em nossa catequese.

  • Motive para o acendimento da vela.

  • Leve os catequizandos a contemplarem a imagem de Nossa Senhora. Peça que Maria nos dê coragem e alegria para vencer as dificuldades. Motive para rezarem juntos a Ave-Maria.

  • Leia o texto de Lc 1,28-38, solicitando aos catequizandos que acompanhem a leitura em suas Bíblias.

  • Faça um momento de silêncio para pensarem no texto lido. Cada um, agora, vai dizer ou ler a parte do texto de que mais gostou. Depois encaminhe para a atividade 1, pedindo que leiam novamente o texto em suas Bíblias e escrevam em seus livros a frase que mais os marcou. Solicite que todos leiam o que escreveram.

  • Na atividade 2, promova a conversa sobre as perguntas: Que lugar Maria ocupa em nossas vidas, em nossas famílias? Como Maria nos ajuda a sermos mais amigos de Jesus?

  • Na atividade 3, motive-os a escrever no desenho do coração algumas qualidades que admiram na mãe deles (ou na pessoa que cuida deles). Depois convide cada um, ou alguns, para ler suas respostas.

  • Comente com os catequizandos as qualidades de uma boa mãe. Deixe-os compartilhar suas opiniões.

  • Mencione o texto no livro dos catequizandos sobre a responsabilidade de ser mãe e as qualidades que esse importante papel exige. Depois explore que Deus buscou Maria para ser a mãe de seu Filho, observando as suas qualidades para desempenhar essa missão. Destaque que Maria, como todas as pessoas de seu tempo, aguardava, na oração, na leitura e na reflexão da Palavra de Deus, o Messias que estava para chegar. E foi exatamente ela que Deus escolheu para ser a mãe de seu Filho Jesus.

  • Seguindo o texto no livro dos catequizandos, explore as informações de Maria e suas qualidades: simplicidade, piedade, amor a Deus, acolhimento, capacidade de ajudar os outros em todas as situações...

  • Retome o assunto do texto bíblico de quando Maria foi surpreendida pelo anjo Gabriel, que lhe trouxe o convite de Deus para a grande missão de ser a mãe do Salvador. Comente como ela teria se sentido naquele momento. Destaque a coragem de Maria ao dizer “sim” de todo coração à proposta de Deus e ao se colocar totalmente a serviço do Senhor.

  • Oriente para a realização da atividade 4, solicitando para que respondam em seus livros: Quando nós dizemos “sim” ao plano de Deus, como fez Maria?

  • Na atividade 5, peça que respondam quem são as mulheres da comunidade que colaboram para o bem dos outros, escrevendo os seus nomes e o que elas fazem.

  • Destaque que, após o anúncio do anjo Gabriel, Maria foi visitar sua prima Isabel que estava grávida. Logo que Isabel a viu, reconheceu nela a mãe do Salvador prometido e exclamou: “Que felicidade para mim! Receber em minha casa a mãe do meu Senhor”.

  • Comente que a visita foi um gesto de Maria para ajudar Isabel, e que, a partir de seu “sim”, ela se tornou a portadora da Boa Notícia de Deus para a vida da prima. Nela se cumpria o seu projeto de enviar o Messias esperado e desejado pelo povo.


Crescer na oração


  • Encaminhe e oriente a oração dividindo os catequizando em dois grupos.

Crescer no compromisso

  • Reflita com os catequizandos sobre Maria responder ao anjo Gabriel com uma frase meio complicada. Ela queria dizer mais ou menos o seguinte: “Estou à disposição de Deus. Quero que aconteça em mim tudo isso que você falou”.

  • Motive-os a refletir com suas famílias sobre um gesto que pode ajudá-los a dizer “sim” ao plano de Deus, assim como fez Maria. Peça que escrevam que gesto seria esse.

 

Sobre o livro:



Uma vez iniciado um relacionamento de amizade, é importante cultivá-lo, por isso o segundo livro se propõe a contemplar Deus que se revela aos seres humanos e estabelece com eles uma relação de diálogo. Jesus nos veio revelar o Pai, então nada melhor que conhecer o plano de Deus para nossa vida. Recordamos que a criação é a primeira manifestação de Deus e que, o testemunho do Antigo Testamento, reforça que o criador deseja fazer aliança conosco, que nos orienta e não nos abandona, mesmo se o pecado nos afasta de seu projeto de vida e amor.

43 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page