• Redação

Nos caminhos da Igreja – Formação permanente da fé, por Bruno Tamancoldi

Em entrevista recente, o professor Bruno Tamancoldi levantou questões importantes sobre a teoria e a prática na vida cristã. Segundo ele, temos o costume de viver baseados em aprender na prática e na igreja não seria diferente. No livro Nos caminhos da Igreja - Formação permanente da fé, o autor aborda a formação contínua de todos os que se dedicam à evangelização.

Na vida, começamos sempre imitando o próximo e isso é natural em nosso processo de aprendizagem. "Quando aliamos prática e teoria fazemos uma práxis. E o que é práxis? É uma prática reflexiva. Então, passamos a entender todos os processos”, comenta.


Quando se entende a teoria a participação na igreja muda. A comunidade passa a compreender totalmente cada rito, o uso das cores utilizadas pelo padre em determinadas épocas do ano, o porquê de se ajoelhar em alguns momentos ao longo das celebrações... Por isso o estudar é necessário. E estudo é dedicação e, assim, o processo teórico fica mais agradável.


Pesquisar, aprender e revisitar pontos já estudados anteriormente ajudarão a rever pontos de vista e opiniões e, até mesmo, corrigir ou reafirmar teorias. Novas experiências de vida ajudarão na manutenção da teoria vista anteriormente. “Conteúdos que você leu há 20 anos atrás, estudou... Hoje é recebido de outra forma. Uma dica que eu dou é: sempre buscar anotar aquilo que gostou e ir buscar outras referências”, indica.


O professor pontua, contudo, que não há problema em seguir e imitar. O exemplo é importante e Jesus Cristo é o maior dos exemplos a ser seguido. Para isso, estudar as Escrituras Sagradas é de suma necessidade, já que esta funciona como uma lâmpada, que guiará aqueles que procuram pela vivência no sacramento.


Durante toda nossa vivência passamos por aprendizagens diferentes, inclusive com o outro. E como lidar com as diferenças nesse processo? É necessário saber escutar! “É comum que tenham divergências. Agora, uma coisa é você discordar de ideias, outra coisa, é você levar isso para o lado pessoal, brigar, se afastar... Quando alguém tem uma opinião divergente da sua é possível chegar em uma conclusão comum: o seu pensamento somado ao do outro", aconselha.


Nem a Igreja, nem a comunidade são perfeitas. Ambas são formadas por seres humanos, suscetíveis a falhas e discordâncias. Por isso, é preciso estudar a história da igreja e como aplicar isso em nossa realidade, trazendo a missão missionária para o dia a dia. "Através desse hábito o cristão se edificará, nas coisas que vive e experiencia. Vencer esse desafio diário fomentará a vida cristã e fortalecerá os valores transmitidos pela Igreja", conclui Bruno.

O trecho publicado acima faz parte de um bate-papo com o autor Bruno Tamancoldi, sobre o livro: Nos caminhos da Igreja – Formação permanente da fé,

realizado em agosto de 2020.

Clique aqui e assista a entrevista completa

17 visualizações

Contato

Loja Virtual

Site Institucional

Desenvolvido por - Editora Vozes