top of page
  • Redação

Reflexão do Evangelho: É preciso mudar a mentalidade na vivência da lei! | Mt 5,17-37


6º Domingo do Tempo Comum | Mt 5,17-37



Hoje, no Evangelho, Jesus fala daquilo que é o resumo do código moral do Antigo Testamento: os mandamentos da lei de Deus. Ele diz que veio, não para abolir a lei, mas para fazer com que ela seja, inteiramente, cumprida.


O que Jesus quer é que a lei não seja estabelecida somente como princípios meramente externos, ou uma imposição vinda de fora. A Lei de Deus deve corresponder ao ideal de perfeição que, por natureza, está no coração de cada pessoa. Só assim conseguirá atingir o Reino de Deus e seus valores.


Por isso, a Palavra de Jesus é dirigida àqueles que se dispõem a segui-Lo. Estes devem fazer mais que os mestres da lei e dos fariseus. Não podem se contentar em apenas cumprir a letra da lei, mas precisa vivê-la em seu coração. “Se a vossa justiça não for maior, vós não entrareis no Reio dos Céus”. Nesse sentido São Paulo (Cf. 2Cor 3,6) vai dizer que a letra mata e o espirito vivifica.


O Jesus quer nos ensinar, na passagem do Evangelho de hoje, é que precisamos conjugar nossas ações com as palavras que proferimos. Só assim teremos condições de buscar e viver a perfeição da vida cristã. Certamente esse é o grande entrave da vivência da vida em Cristo. Às vezes falamos muito bonito, pregamos de forma esplêndida, mas o que praticamos no dia a dia da vida joga por terra nossas palavras e pregações.


Diante da nossa dificuldade em viver o que se fala e falar o que se vive, ao final do Evangelho, Jesus apresenta uma solução simples. Ele nos ensina a dizer sim, quando for sim e não quando for não. O que dissermos além disse não vem de Deus, nem de nós mesmos. Vem do Maligno.


Jesus tem autoridade para nos dizer “seja o vosso sim, sim, vosso não, não”. Ele deu o exemplo em sua vida. Pregou o que viveu e viveu o que falou. Se queremos imitá-Lo é preciso repensar nosso modo de viver. Muitos querem seguir Jesus, mas poucos estão dispostos a fazer o que Ele pede.


Portanto, a Palavra de Jesus hoje é muito clara para todos nós. Devemos guardar no coração esta Palavra, segui-la e anunciá-la aos outros. Podemos até sentir que ela é dura demais e difícil de seguir. Como seguidores de Jesus precisamos ter a coragem de vivê-la e testemunhá-la, com clareza e na sua inteireza, sem fazer cortes e usar somente aquelas que nos interessam. Meias palavras não servem. A Palavra de Jesus não cabe recorte. Ou somos ou não somos cristãos de verdade. Que “seja o vosso sim, sim e o vosso não, não”!

 

Pe. Almerindo da Silveira Barbosa, formado em Filosofia e Teologia, pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais, o colunista também possui especialização em Ensino Religioso, pela Faculdade do Noroeste de Minas (FINOM), e em Teologia Pastoral, realizada na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, em Belo Horizonte. Pe. Almerindo é coautor da coleção “Deus Conosco” e do livro Quem é esse Jesus e autor da obra A missa – Conhecer para viver, também publicado pela Editora Vozes.

73 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page