• Redação

Reflexão do Evangelho: 22º Domingo do TC | Mc 7,1-8.14-15.21-23

Por Pe. Almerindo da Silveira Barbosa

O que torna o homem impuro é o que sai de si!


Depois de um tempo caminhando com Jesus, pela palavra, através do evangelista São João, retomamos ao Evangelho de São Marcos. Jesus nos chama a atenção para o cuidado com nossas práticas religiosas. Elas não podem ser apenas rituais, mas devem nos levar a purificação interior.


No texto do Evangelho deste domingo vimos os fariseus e os mestres da lei cobrando de Jesus para que seus discípulos tenham cuidado em lavar as mãos antes das refeições. Eles estavam comendo com as mãos sujas, o que contrariava a tradição.


Uma pessoa, ao comer sem lavar as mãos, tornava-se impura e, portanto, não deveria estar no meio de outras pessoas. Os fariseus e mestres da lei dizem para Jesus que os discípulos saiam para a rua, para o trabalho, voltavam e não lavavam as mãos. Questiona: “Porque teus discípulos não seguem a tradição dos antigos?”


Jesus responde dizendo que o povo honra a Ele com os lábios, mas seus corações estão longe dele. Abandonam o mandamento de Deus para seguir tradição humana. E diz: escutem e compreendam: o que torna o homem impuro não é o que entra nele, vindo de fora, mas o que sai do seu coração”.


Ao dizer isso Jesus revela que o que torna o homem impuro não são as coisas que ele ingere, mas aquilo que sai de seu interior, como a inveja, as más intenções, os roubos, as imoralidades, os adultérios, o orgulho e tantas outras coisas. São essas realidades que fazem com que o homem perca sua pureza.


Ao lê, meditar e rezar este trecho do Evangelho, nossa mente e o nosso coração devem levar-nos a um profundo questionamento, para saber se estamos vivendo a religião das normas, em seus gestos externos apenas, ou se buscamos purificar-nos a partir do nosso interior.


O que você tem guardado em seu coração? O que sai dele? O que você tem feito para purificar seu coração? Jesus nos ensina que precisamos ter cuidado para não praticarmos uma religião externa, somente dos ritos e normas. Precisamos trabalhar o nosso coração. Olhe para ele e, através dos ensinamentos de Jesus procure preencher com aquilo que te torna melhor e mais próximo de Jesus e do seu amor.


Peça a Jesus a graça para que Ele esteja em seu coração, para que possas se preocupar mais com a sua purificação interior. Que seu coração não seja fonte de injustiças e maldades e esteja longe das coisas do mundo. Que ele possa ser limpo e puro, cheio do amor em que fomos gerados.

Pe. Almerindo da Silveira Barbosa, formado em Filosofia e Teologia, pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais, o colunista também possui especialização em Ensino Religioso, pela Faculdade do Noroeste de Minas (FINOM), e em Teologia Pastoral, realizada na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, em Belo Horizonte. Pe. Almerindo é coautor da coleção “Deus Conosco” e do livro Quem é esse Jesus e autor da obra A missa – Conhecer para viver, também publicado pela Editora Vozes.

111 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo