• Redação

Reflexão do Evangelho: Continuamos gritando para que Jesus seja crucificado! | Lc 23,1-49

Domingo de Ramos


Por Pe. Almerindo da Silveira Barbosa


Chegamos ao domingo de Ramos. Iniciamos, neste dia, a semana maior de nossa fé. Vamos, nestes dias, caminhar seguindo os passos de Jesus. Ele experimenta o sofrimento e é morto na cruz. Por isso meditamos o Evangelho da sua Paixão.


Todos os evangelistas narram a Paixão de Cristo e, fundamentalmente, falam a mesma coisa. Porém, cada um deles trazem suas especificidades. Lucas, o Evangelho que estamos rezando neste ano, destaca a bondade a misericórdia de Jesus, ao narrar a paixão. Jesus é aquele que não age com violência, diante dos ataques que recebe.


São Lucas, em seu texto, quer destacar Jesus como aquele que é compreensivo, misericordioso e pleno de amor. Assim devem ser os cristãos. Não devem se desencorajar diante dos sofrimentos e das dificuldades da vida, nem das agressões que recebem. Por esta razão, o evangelista é o único a dizer que Jesus, antes de morrer, tem força e coragem para dizer ao Pai: “Perdoa-lhes, porque eles não sabem o que fazem” (Lc 23,34).


São Lucas nos ensina, como seguidores de Jesus Cristo, a não devolver com a mesma moeda, o que recebemos, diante das injúrias e perseguições sofridas. Qual, então, é o nosso problema? Continuamos fazendo justiça com as próprias mãos. Continuamos crucificando Jesus, gritando, para que ele seja condenado à morte, através da condenação dos nossos irmãos.


Os ensinamentos de Jesus são claros, diretos e objetivos, para quem deseja ser seu seguidor. Ele pede para não pagar o mal com o mal, nem revidando as injúrias sofridas e não ocupando os primeiros lugares, mas colocando-se como servidores de todos.


Ao iniciarmos a Semana Santa, vamos pedir a Jesus, na força do seu Espírito, a graça da conversão. Que nosso coração seja, verdadeiramente, transformado com atitudes de misericórdia, mansidão, paciência e compreensão. Que não reajamos diante das ofensas e dos sofrimentos recebidos. Sejamos pessoas serenas e mansas.


Quem de nós não experimentamos, como Jesus, sofrimentos injustos, perseguições e ataques, por coisas que nem sequer praticamos? A cena da Paixão de nosso Senhor nos ensina a sermos mais mansos e compreensivos, diante da realidade.


Ao invés de crucificarmos e condenarmos às pessoas, que tenhamos condições, depois de viver esse itinerário espiritual da Semana Santa, rezar a Deus, dizendo: “Perdoa-lhes, porque eles não sabem o que fazem”.


Para que isso aconteça e nossa vida seja transformada, como a vida de Jesus, precisamos nos encharcar da presença do seu Espírito. É Ele quem move o nosso coração. Se deixarmos Ele agir, teremos condições de sermos como Jesus, perdoando as ofensas recebidas.

 

Pe. Almerindo da Silveira Barbosa, formado em Filosofia e Teologia, pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais, o colunista também possui especialização em Ensino Religioso, pela Faculdade do Noroeste de Minas (FINOM), e em Teologia Pastoral, realizada na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, em Belo Horizonte. Pe. Almerindo é coautor da coleção “Deus Conosco” e do livro Quem é esse Jesus e autor da obra A missa – Conhecer para viver, também publicado pela Editora Vozes.


30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo