• Redação

Reflexão do Evangelho: Cuidado com todo tipo de ganância! | Lc 12,13-21

Por Pe. Almerindo da Silveira Barbosa


18º Domingo do Tempo Comum | Lc 12,13-21

Hoje, no Evangelho, Jesus nos adverte sobre a ganância. Ela é uma arma que se volta contra o próprio ganancioso. Por isso a advertência de Jesus, pedindo-nos a abrir os olhos: “Cuidado com todo tipo de ganância!”


A narrativa do Evangelho conta a resposta que Jesus deu à uma pessoa que lhe pediu orientação na repartição de uma herança: “Mestre, dize ao meu irmão que reparta a herança comigo.” Diante do pedido Jesus responde: “Homem, quem foi que me encarregou de julgar ou dividir os bens entre vocês?”


Em sua resposta, percebemos a consciência que Jesus tem de sua missão. Ele não veio para resolver problemas familiares, no que diz respeito à repartição da herança. Sua missão é de instruir e orientar para que as pessoas não sejam gananciosas. A vida de uma pessoa não depende de seus bens. O mais importante é o sentido da sua existência. A riqueza de uma vida não consiste em possuir muitas coisas, mas ser ter a riqueza de Deus e para Deus.


O que Jesus quis ensinar é que, quando a ganância toma conta do coração de uma pessoa, ela não tem condições de repartir sua herança com equilíbrio, serenidade e equidade. Para explicitar sobre isso, Jesus conta uma parábola, que faz com que a pessoa possa refletir sobre o sentido de sua existência.


Na parábola Jesus diz que “a terra de um homem rico deu uma grande colheita. E o homem pensou: O que vou fazer? Não tenho onde guardar minha colheita.” Veja que o detalhe da comparação de Jesus é profundamente significativo. O homem rico está totalmente fechado dentro da preocupação com os seus bens, que aumentaram de repente por causa da boa colheita. Ele pensa em só acumular. Planeja tudo para ter uma vida tranquila e sem preocupações.


Porém, como os planos de Deus nem sempre são os planos que os homens fazem, Deus diz na parábola: “Louco! Nesta mesma noite você vai ter que devolver a sua vida. E as coisas que você preparou, para quem vão ficar?”.


O que Jesus quer nos ensinar é que há uma diferença em ser do mundo e para o mundo e ser de Deus e para Deus. Ser para o mundo é viver pensando somente em si e acumular as coisas, sem se preocupar com o outro. Ser para Deus é viver a vida pelo serviço, doação e entrega ao seu próximo. A vida perde o sentido quando se vive pela cobiça e pela ganância.


Que Deus, pela intercessão de virgem Maria, aquela que soube significar sua vida pelo serviço, nos preserve do apego exagerado às coisas e nos tornem mais sensíveis às necessidades do nosso semelhante. Quem descobre o caminho da solidariedade e da partilha, descobre o caminho da salvação.

 

Pe. Almerindo da Silveira Barbosa, formado em Filosofia e Teologia, pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais, o colunista também possui especialização em Ensino Religioso, pela Faculdade do Noroeste de Minas (FINOM), e em Teologia Pastoral, realizada na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, em Belo Horizonte. Pe. Almerindo é coautor da coleção “Deus Conosco” e do livro Quem é esse Jesus e autor da obra A missa – Conhecer para viver, também publicado pela Editora Vozes.

30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo