• Redação

Reflexão do Evangelho: Meu jugo é suave e o meu fardo é leve | MT 11, 25-30

Por Padre Almerindo da Silveira Barbosa

Durante seu ministério, ao longo do mar da Galileia, Jesus entusiasmou pessoas, mas também cultivou inimigos e oposições. Muitas foram as pessoas que desanimaram e acabaram desistindo de segui-Lo. Com Ele permaneceu fiel apenas um pequeno grupo.


Ao iniciarmos a meditação do evangelho desse domingo percebemos que Jesus não desanima diante das oposições e fracassos. Pelo contrário, Ele reza uma das mais bonitas orações feita a Deus Pai, dizendo: “Eu te bendigo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondestes estas coisas aos sábios e entendidos e as revelastes aos pequeninos” (Mt 11,25).


Logo após rezar ao Pai Jesus faz uma importante afirmação – “Ninguém conhece o Filho senão o Pai, como também ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar” - mostrando que o seu verdadeiro seguidor precisa, não apenas encontrar-se com Ele, mas ter uma relação de intimidade, através de uma experiência profunda.


O evangelho termina se referindo à opressão vivida pelas pessoas simples, através dos escribas e fariseus, aqueles que se consideram sábios e inteligentes. Eles complicam a religião por regras pesadas e que torna impossível a sua vivência. Esta religião torna-se um jugo muito pesado, pois oprime o povo humilde, os pobres que sofrem.


Diante da realidade vivida Jesus convida as pessoas a se afastarem dessa gente e a se libertarem da religião opressora, aceitando seus ensinamentos, que tem “jugo suave e fardo leve”. Assim, no texto proclamado, Ele faz três convites.


O primeiro convite Jesus diz “vinde a mim todos os que estais fadigados e cansados”. É dirigido aquelas pessoas que vivem uma religião como uma carga pesada. Não conseguem viver a religião da leveza e da alegria, mas do peso e do sofrimento.


O segundo convite Jesus diz para carregar o seu jugo leve e suave, deixando o fardo pesado da religião que oprime. O jugo de Jesus, ao contrário, liberta e cura, pois é suportável e o seu fardo é leve.


O terceiro convite de Jesus é para aprender dele, através de duas das muitas características que marcam sua vida, que é a mansidão e humildade. Jesus não complica a vida das pessoas, pelo contrário, a torna mais leve, suave e simples.


Que saibamos aprender de Jesus a viver a leveza da vida e da religião e escutar o seu chamado, configurando nossa vida à sua, tendo nosso coração semelhante ao seu. Ele nos ensina, através de seu coração manso e humilde, que assim sejamos. Amém!


Pe. Almerindo da Silveira Barbosa, formado em Filosofia e Teologia, pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais, o colunista também possui especialização em Ensino Religioso, pela Faculdade do Noroeste de Minas (FINOM), e em Teologia Pastoral, realizada na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, em Belo Horizonte. Pe. Almerindo é coautor da coleção “Deus Conosco” e do livro Quem é esse Jesus e autor da obra A missa – Conhecer para viver, também publicado pela Editora Vozes.

43 visualizações

Contato

Loja Virtual

Site Institucional

Desenvolvido por - Editora Vozes