• Redação

Reflexão do Evangelho: Meus olhos viram a vossa Salvação! | Lc 2,22-40

Por Pe. Almerindo da Silveira Barbosa

Neste domingo em que celebramos a festa da Sagrada Família, a liturgia nos oferece o texto de São Lucas, conhecido como apresentação de Jesus no templo de Jerusalém. Jesus foi levado ao Templo para ser apresentado a Deus pelos seus pais, para cumprirem com o dever prescrito pela Lei de Moisés.


Maria e José são fiéis às tradições religiosas e, por isso, cumprem, no Templo, o rito de apresentação do filho, uma vez que a Lei judaica prescrevia que todo primogênito devia ser oferecido ao Senhor.


No Templo Jesus é acolhido pelo velho Simeão. Um homem justo, piedoso e fiel a Deus. Também é acolhido por Ana, uma viúva piedosa, que já estava com idade avançada. Os dois representam o povo de Israel, que esperava a libertação e a salvação.


Simeão, cheio de alegria e na força do Espírito Santo, toma o Menino Jesus nos braços e o apresenta, como que dizendo, aqui está a salvação que Deus oferece a todos. Ao elevar a criança ele mostra que Jesus não pertence mais somente ao seu povo. Ele é a restauração e a salvação de todos os povos e luz para todas as nações.


Junto com o gesto de tomar o Menino Jesus nos braços, Simeão faz a oração de entrega e de confiança a Deus dizendo: “Agora, Senhor, conforme a tua promessa, podes deixar teu servo partir em paz, porque meus olhos viram a tua salvação, que preparaste diante de todos os povos: luz para iluminar as nações e glória do teu povo Israel”.


Por fim, depois de abençoar a criança, o velho Simeão dirige à sua mãe Maria, dizendo que Jesus vai ser causa, tanto de queda, como de reerguimento para muitos em Israel e profetiza que uma espada de dor traspassará a sua alma, se referindo aos que rejeitaram e aos que acolheram o Menino e também sobre a sua morte na cruz.


Queridos irmãos leitores, assim como Jesus foi apresentado a Deus no Templo, também nós, pela graça do santo Batismo, somos apresentados e consagrados ao Senhor. Por esta graça somos chamados a acolher e aceitar Jesus como nossa vida e nossa salvação.


Também, pela graça batismal e, como discípulos/missionários do Reino, somos chamados a apresentar Jesus às outras pessoas, de modo especial àquelas que ainda não tiveram a oportunidade de conhecê-lo e acolhê-lo em suas vidas.


Que possamos, então, assumir o compromisso de batizados, para acolhermos Jesus como a nossa Salvação e apresentá-lo a tantos que tem sede de conhecer e experimentá-lo em suas vidas. Para isso precisamos estar cheios do Espirito Santo, como esteve o velho Simeão, para conseguirmos reconhecer e acolher as maravilhas de Deus em nossa existência.


Peçamos a Sagrada Família de Nazaré, que consagrou seu filho a Deus, por nossas famílias, para que, também, sejam consagradas, fortalecidas e iluminadas pela graça e o amor de Deus.

Pe. Almerindo da Silveira Barbosa, formado em Filosofia e Teologia, pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais, o colunista também possui especialização em Ensino Religioso, pela Faculdade do Noroeste de Minas (FINOM), e em Teologia Pastoral, realizada na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, em Belo Horizonte. Pe. Almerindo é coautor da coleção “Deus Conosco” e do livro Quem é esse Jesus e autor da obra A missa – Conhecer para viver, também publicado pela Editora Vozes.

15 visualizações0 comentário

Contato

Loja Virtual

Site Institucional

Desenvolvido por - Editora Vozes