• Redação

Reflexão do Evangelho: Quem quiser ser grande, seja vosso servo! | Mc 10,35-45

29º Domingo do Tempo Comum

Na narrativa evangélica deste domingo Jesus está anunciando sua morte como consequência da vida que Ele viveu. Enquanto isso, dois de seus discípulos, Tiago e João, sonham com poder e honrarias, fazendo nascer no coração dos outros discípulos discórdia e competição.


Enquanto Jesus ensina que o mais importante é seguir seu exemplo de servir e não ser servido, os discípulos estão preocupados com o lugar que irão ocupar do lado de Jesus. Este lugar está reservado para os que entenderem a lógica do Reino e não a lógica do mundo. O seguidor de Jesus deve se colocar como servo, para ser grande e escravo de todos, para ser o primeiro e ocupar o lugar ao lado de Jesus.


O texto do Evangelho termina com o ensinamento de Jesus, dizendo que Ele veio ao mundo, “não para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate para muitos”. Esse é o caminho do Mestre e este deve ser o caminho de quem se dispõe e segui-lo. Fora dessa lógica não tem como ocupar o primeiro lugar, nem se tornar grande e importante.


Como é difícil, na prática, viver os ensinamentos de Jesus. Teoricamente até entendemos tudo, mas na hora de agir, enfrentamos dificuldades em colocar em prática, porque não entendemos bem que, para alcançarmos alguma coisa, precisamos enfrentar os desafios, os sacrifícios e as lutas. Não há vitória sem que passemos pela experiência do esforço e da luta.


A nossa mentalidade humana nos faz querer tudo e desejar tudo de melhor num passe de mágica, sem sacrifícios. Jesus, com sua sabedoria, nos abre os olhos e nos mostra que a nossa vida em direção à glória do céu é uma via de mão única. Não há outro caminho. Porém não depende somente de nós, mas do irmão que caminha conosco. Só ocuparemos nosso lugar à direita ou à esquerda de Jesus se, neste mundo, nos colocarmos a serviço dos nossos irmãos e irmãs e não querermos tomar posse do lugar deles, como se fossem nosso.


Diante do desejo dos discípulos, Jesus os respondeu com uma pergunta interpeladora: “Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber? Podeis ser batizados com o batismo com que vou ser batizado?” A resposta não é apenas um sim ou um não. Não é tão simples assim. Depende do Pai e de como os discípulos irão viver a vida. Se colocarem em prática os ensinamentos de Jesus, talvez o Pai reservará um lugar para eles. Mas precisarão estar dispostos a assumir a vida de Jesus em suas vidas.


Sempre pedimos algo a Deus. Às vezes, como os dois discípulos, não sabemos o que estamos pedindo. É preciso ter consciência do que queremos Dele e se temos condições de receber aquilo que desejamos. Beber do cálice de Jesus e ser batizado em seu batismo, não é tão simples como estavam entendendo os filhos de Zebedeu, Tiago e João.

Pe. Almerindo da Silveira Barbosa, formado em Filosofia e Teologia, pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais, o colunista também possui especialização em Ensino Religioso, pela Faculdade do Noroeste de Minas (FINOM), e em Teologia Pastoral, realizada na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, em Belo Horizonte. Pe. Almerindo é coautor da coleção “Deus Conosco” e do livro Quem é esse Jesus e autor da obra A missa – Conhecer para viver, também publicado pela Editora Vozes.

13 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo