• Redação

Segundo Domingo da Quaresma: Este é meu filho amado. Escutai o que Ele diz! | Mc 9,2-10

Por Pe. Almerindo da Silveira Barbosa

No segundo domingo da quaresma ouvimos o Evangelho da Transfiguração do Senhor. Ele se liga à Paixão de Cristo, pois, por um momento, tira os discípulos do escândalo da Cruz e oferece-lhes a visão da glória, onde ficam maravilhados.


O texto começa trazendo a informação que Jesus tomou consigo os três discípulos e os levou ao Monte Tabor, onde transfigurou-se diante deles. Por um instante Pedro, Tiago e João, experimentam como é a vida na glória de Deus.


Diante da experiência vivida, Pedro toma a palavra e diz que é bom estar ali, sugerindo para Jesus construir três tendas, uma para Jesus, outra para Moisés e outra para Elias. Porém Jesus ensina a ele e aos outros que eles não devem permanecer no Tabor. É preciso voltar para a planície, para continuar implantando o Reino de Deus.


Como Pedro, Tiago e João, também nós, em cada Eucaristia dominical, fazemos a experiência de subir ao Monte com Jesus. Ao nos encontrarmos como irmãos em torno do altar do sacrifício, com Jesus nós nos transfiguramos e, depois, ao longo da semana, somos chamados, na montanha, anunciar as maravilhas de estar com Jesus nessa experiência bonita de intimidade com Ele, fazendo com que, através de nossas atitudes e ações o Reino de Deus continue se expandindo.


Em cada Eucaristia Deus, o Pai, nos recomenda ouvir o Seu Filho amado, porque Ele sabe que só Jesus pode nos oferecer palavras que transformam a nossa vida. Só Jesus tem, para nós, palavras que trazem vida eterna. E, quando deixamo-nos ouvir Jesus nossa vida e transformada e transformamos a vida de outras pessoas, pois uma vez que somos transfigurados por Ele, transmitimos o brilho da transfiguração às outras pessoas.


Por fim, Jesus chama a nossa atenção no Evangelho de hoje. Às vezes somos como Pedro em que participamos da Eucaristia, somos transfigurados e queremos permanecer ali. Não queremos descer para a realidade de nossa vida. A vida cristã exige que após celebrarmos a Eucaristia, assumamos o compromisso de transformar as realidades do mundo, dando sinais de que fomos transformados e transfigurados na presença do Senhor.


Portanto, ao celebrarmos cada Eucaristia, Jesus nos mostra as realidades do céu. Contemplando essa realidade, somos chamados a descer a montanha, para enfrentar as realidades que nos esperam, que nem sempre são fáceis de serem enfrentadas.


Que a Palavra de Jesus nos ajude a compreender o valor da Eucaristia em nossa vida e em nossa missão. Transformados por Ele, na participação do Mistério Pascal, somos chamados a transformar o mundo, com nossa presença, nosso modo de ser e de estar no meio das pessoas e no mundo.

Pe. Almerindo da Silveira Barbosa, formado em Filosofia e Teologia, pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais, o colunista também possui especialização em Ensino Religioso, pela Faculdade do Noroeste de Minas (FINOM), e em Teologia Pastoral, realizada na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, em Belo Horizonte. Pe. Almerindo é coautor da coleção “Deus Conosco” e do livro Quem é esse Jesus e autor da obra A missa – Conhecer para viver, também publicado pela Editora Vozes.

34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Contato

Loja Virtual

Site Institucional

Desenvolvido por - Editora Vozes