top of page
  • Redação

Ser catequista é: valorizar os meios que Deus dá



Sacramentos são sinais do amor de Deus para com a humanidade. Eles são o próprio Deus presente nesses sinais, pois a hóstia consagrada não é só sinal da presença de Cristo: é o próprio Cristo. Esta realidade acontece também com os demais sacramentos.


O próprio Deus vem em nosso socorro, sempre através de Jesus Cristo, dando a força necessária, este auxílio, chamado “graça”, e distribuído pela Igreja através dos sacramentos da iniciação cristã, dos sacramentos da cura e dos sacramentos do serviço.


Os sacramentos da iniciação cristã, numa unidade indissolúvel, expressam a unidade da obra trinitária na vida cristã, pois o Batismo nos torna filhos do Pai, a Confirmação nos unge com a unção do Espírito e a Eucaristia nos alimenta com o Corpo de Cristo.


Pelos sacramentos da iniciação cristã, o ser humano recebe a vida nova de Cristo, mas esta nova vida de filhos de Deus pode ficar fragilizada pelo pecado. Jesus não só tem poder de curar, mas também de perdoar os pecados. É esta a finalidade dos dois sacramentos de cura: o Sacramento da Penitência e o Sacramento da Unção dos Enfermos.


Para a efetivação da evangelização são necessários recursos humanos, isto é, os sacramentos do Serviço, do Matrimônio e da Ordem, que permitem às pessoas um contato vivo e pessoal com Jesus Cristo, mergulhando nas riquezas do Evangelho, com mudança de atitudes, e iniciando a verdadeira e a eficaz vida da comunidade cristã e plena participação da vida divina.


Na vocação de ser catequista os sacramentos celebrados são experiência da fé que se renova ao sentir em si a presença divina. A experiência de vivenciar os sacramentos é parte da vida do catequista que deles participa e que ajuda seus catequizandos a perceberem a presença de Jesus que continua vivo no meio de nós, a ajudá-los a entenderem os valores cristãos celebrados em cada sacramento e a reconhecerem a beleza de viver e professar a fé em comunidade, confirmando-a no dia a dia.


Atualmente a Igreja, corpo místico de Cristo, resgata o processo de catequese com inspiração catecumenal e propõe a Iniciação à Vida Cristã como um método de evangelização, de interação entre vida e fé, de engajamento na vida comunitária, de fraternidade cristã e de participação na missão eclesial.

 

Sobre o livro:


Este livro é um convite para refletir sobre a identidade, vocação e missão de ser catequista. Apresenta no decorrer de suas páginas o conteúdo de modo interativo, convidando o leitor para ler, refletir, rezar, avaliar sua caminhada, registrar seus anseios, sonhos e planos de ação. É um pequeno itinerário que ajuda a assumir a missão profética da Igreja como educador da fé, despertando a importância de uma formação que integra a dimensão doutrinal e experiencial capaz de colocar em prática os ensinamentos de Jesus.

33 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page