top of page
  • Redação

Vivência dos sacramentos

Os sacramentos são sinais eficazes pelos quais Deus transmite sua graça, e que estão ordenados à santificação dos homens e à edificação do Corpo de Cristo. Eles não só supõem a fé (isto é, a fé precede a celebração sacramental) como a alimentam, a fortificam e a expressam por meio de palavras e coisas; por essa razão, são chamados sacramentos da fé; ou seja, sinais da fé. Ao nos deixar os sacramentos, Jesus nos ensina que Ele se comunica conosco e nos transmite sua salvação de modo sensível e visível; isto é, de acordo com nossa condição humana (cf. COMISSÃO TEOLÓGICA INTERNACIONAL, 2019).



Já dissemos que a fé não é algo garantido para sempre, mas precisa ser cultivada para que permaneça forte e não seja abalada pelas lutas diárias em nossa vida. De modo muito especial, a prática dos sacramentos é um modo de fortalecer e animar a nossa fé. É como em nossos relacionamentos humanos: aquilo que não é dito nem praticado corre o risco de enfraquecer ou, até mesmo, desaparecer.


A vivência sacramental, especialmente dos sacramentos da Reconciliação e da Eucaristia, marca a existência do cristão como fonte que renova as forças para seguir no caminho. A Eucaristia é sinal e memória de Jesus, que dá a sua vida por nós e nos convida a fazermos como Ele fez; a Reconciliação é sinal e presença da misericórdia e do amor infinito do Pai por nós, que nos chama a ter essas mesmas atitudes com os outros. Jesus Cristo não poderia ser acolhido apenas de modo invisível ou particular; ao contrário, quando o recebemos nós nos tornamos capazes e somos chamados a incorporá-lo plenamente em nossas palavras, em nossos pensamentos, em nossas ações; enfim, em toda a nossa vida (cf. COMISSÃO TEOLÓGICA INTERNACIONAL, 2019). Em outras palavras, como durante muitos anos ouvi em várias homilias, nós nos deixamos tornar outros cristos: dessa experiência de fé passamos a assumir o jeito de ser do Mestre.


Celebrando os sacramentos, isto é, os momentos fortes da vida de cada pessoa e de toda a comunidade (nascimento, matrimônio, Eucaristia) celebramos a vida de cada um que traz consigo sentimentos, conquistas, lutas, aspirações. A prática contínua dos sacramentos é alimento para a fé, pois, ao expressarmos em quem cremos (cf. 2Tm 1,12), nós nos envolvemos em um processo de modificação de nós mesmos e que se alarga para o mundo. Sacramento, portanto, exige e conduz ao engajamento, porque nos faz crescer na fé em Jesus Cristo e nos fortalece para termos em nós os seus gestos.

 

Sobre o livro:



A obra é dividida em quatro capítulos, apresenta diversos aspectos importantes sobre a fé e como levá-la ao cotidiano de cada pessoa. O conteúdo não só facilita a compreensão do leitor, mas auxilia quem depois irá desenvolver seu conteúdo, como catequista ou como agente formador nas pastorais. Os capítulos servem como subsídio para o estudo e a reflexão sobre a fé, e os conteúdos podem ser desenvolvidos individualmente ou em grupos. O último capítulo reúne roteiros de estudo sobre o conteúdo desenvolvido, com sugestões e indicações para a formação nas diferentes pastorais.

176 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page