• Redação

Quando eu rezo: viver o amor

Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns

aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós

uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão

que sois meus discípulos: se vos amardes

uns aos outros (Jo 13,34-35).

Reflexão: Como Jesus nos ensinou, é vivendo de amor que seremos reconhecidos como seus discípulos. Aliás, o amor é a síntese do seu Evangelho, pois apresenta o Salvador sempre em uma atitude altruísta na busca do outro. Ele inclui as crianças, as viúvas, os cobradores de impostos, as prostitutas, os leprosos, e o faz porque se compadece. Também se preocupa em alimentar o seu povo faminto de alimento material e espiritual. Como dizia Saint Exupéry: “O amor é a única coisa que cresce à medida que se reparte”. Vivemos inseridos numa sociedade competitiva e excludente, em que impera o egoísmo, sobretudo entre aqueles que ainda não se deixaram seduzir pelo Cristo, pois, mesmo conhecendo seus ensinamentos, não vivem na prática os preceitos ensinados por Ele. O que fazer para viver o amor? Cremos que, em primeiro lugar, deverá acontecer uma mudança radical em direção ao Senhor, ou seja, um desejo de amá-lo tão intensamente a ponto de querer agradá-lo em tudo e, como vimos na citação bíblica acima, só seremos reconhecidos como seus discípulos se nos amarmos mutuamente. Uma maneira concreta de pôr esse seu mandamento em prática é vivenciar o perdão, que é muito difícil aos olhos do mundo. Perdoar a quem nos ofendeu e rezar pelos que se dizem inimigos é uma grande prova de amor – como fez nosso Senhor Jesus Cristo: dar a vida por amor.


Oração: Deus eterno e todo-poderoso, dai-nos a graça de vos amar acima de tudo, e ao nosso próximo como o vosso Filho nos ensinou, pois Ele recebeu o golpe mais terrível da história por amor, quando na cruz foi transpassado pela lança do centurião. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.


Bruno Carneiro Lira, OSB

Trecho do livro Quando eu rezo.


11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo