top of page
  • Redação

Reflexão do Evangelho: Aqueles que têm saúde não precisam de médicos | MT 9, 9-13

10º Domingo do Tempo Comum| MT 9, 9-13


O Evangelho de hoje nos fala sobre a vocação de Mateus. Jesus o vê sentado na coletoria de impostas e o chama para ser seu discípulo – “Segue-me”! - Mt 9,9. Ele levanta imediatamente e segue o Mestre.


Na casa de Mateus, quando estava sentado à mesa, partilhando a vida e o alimento, apareceram muitos cobradores de impostos e pecadores. Eles, também, sentaram-se à mesa com Jesus e os seus amigos. Alguns fariseus, porém, ao verem aquela cena, recorreram aos discípulos e os questionaram, por que Jesus comia com essas pessoas pecadoras.


Jesus, ao ouvir o que os fariseus falaram, imediatamente respondeu dizendo que “aqueles que têm saúde não precisam de médicos, mas sim os doentes”. Depois, diz que os fariseus precisam aprender o que significa “quero misericórdia e não sacrifícios”.


Como os fariseus, hoje, a maioria das pessoas que seguem Jesus, continuam pensando do mesmo jeito. Elas pressupõem que os que vivem no pecado não tem chances com Deus. Não podem aproximar-se dele, por causa de seus pecados. É aqui que Jesus diz que os doentes é que precisam de médicos. Os pecadores é que precisam de Deus em suas vidas, para que Ele possa resgatá-los, devolvendo a dignidade de filhos.

Por isso Jesus compara o pecador a alguém que está doente. É essa pessoa que precisa de médico, para ser curada e voltar a ter saúde. Assim também é o pecador. É ele que mais precisa de Deus para que sua saúde, de modo especial a espiritual, seja restabelecida.


Hoje Jesus continua fazendo o convite a todos nós para segui-Lo, que Ele dará, à nossa vida, um novo rumo. Ele veio ao mundo com a missão de nos resgatar para Deus. Quando escutamos sua voz e decidimos acompanhá-lo, Ele entra em nossa vida e nos oferece a vida nova.


O “segue-me” exige de nós despojamento. Assim como Mateus, que largou sua profissão e seguiu o mestre, Ele nos convida a fazer um caminho novo, despojados de nossas vaidades, de nossos orgulhos e da nossa autossuficiência. Só assim conseguimos ter Jesus sentado conosco à nossa mesa.


O chamado é Dele, mas a resposta é de cada um de nós. Quando escutarmos sua voz, nos chamando, pelo nome, levantemo-nos e, como Mateus, O sigamos, na certeza de que ele vem sentar à nossa mesa e participar do convívio com aqueles que são os mais próximos de nós. Assim, estaremos levando-O para aqueles que nós mais amamos, que são os da nossa família.

 

Sobre o autor:

Pe. Almerindo da Silveira Barbosa, formado em Filosofia e Teologia, pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais, o colunista também possui especialização em Ensino Religioso, pela Faculdade do Noroeste de Minas (FINOM), e em Teologia Pastoral, realizada na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, em Belo Horizonte. Pe. Almerindo é coautor da coleção “Deus Conosco” e do livro Quem é esse Jesus e autor da obra A missa – Conhecer para viver, também publicado pela Editora Vozes.

916 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page