• Redação

Reflexão do Evangelho: Festa da Santíssima Trindade | Jo 16,12-15

Por Pe. Almerindo da Silveira Barbosa

Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos! | Jo 16,12-15


Depois das celebrações do tempo pascal, que culminaram no envio do Espírito Santo, através da festa de Pentecostes, a liturgia nos convida a um profundo e grande hino de louvor e de adoração à Trindade Santa, mistério inefável.


Deus se revelou, na história da salvação, como uma Trindade Santa e, o ápice desta revelação foi dado com Jesus Cristo. É através da Igreja e dos escritos dos Apóstolos, que encontramos aquilo que cremos como Igreja, herdeiros da mensagem dos Apóstolos e participantes da promessa.


Os Padres da Igreja dos séculos terceiro e quarto usavam uma imagem para falar da Trindade. Trata-se de uma analogia, isto é, uma comparação. Esta, embora seja limitada, serve para compreender o mistério de Deus Uno e Trino. Os Padres dizem que o Pai é como a fonte, o sol. O sol não existe sem seus raios. Embora os raios sejam distintos da Fonte, eles são inseparáveis, porque um implica o outro. O Pai é a fonte e Jesus é o raio do Pai. O Espírito Santo é o calor, pois se o calor é distinto do raio e da fonte, ele não pode ser considerado separado nem da fonte, nem do raio, mas numa unidade. O calor é o Espírito Santo. Por isso, quando cantamos o canto do Espírito Santo dizemos que ele é “calor que aquece”.


Celebrar a festa da Santíssima Trindade é reafirmar que existe um único e mesmo Deus, que se revela como princípio e fim de todas as coisas, através do Pai que gera, do Filho que é gerado e do Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho, numa relação eterna e que constitui por nós e para nossa salvação a ação de Deus Uno e Trino no mundo.


O Filho é eterno, como nos diz o próprio Jesus no Evangelho de São João: “Pai glorifica seu Filho com a glória que tinha contigo antes da criação do mundo”. Antes que o mundo tenha sido criado o Filho já condividia com o Pai a mesma e única glória. Já o Espírito Santo tem a missão de confirmar o que Jesus disse e fez e tem a função de agir na difusão da Igreja.


No Evangelho desta festa, Jesus continua nos prometendo o Espírito Santo, Aquele que nos revela os planos de Deus e nos prepara até para as coisas futuras que Ele irá nos propor. É o Espírito Santo que agora falará em nós. Ele nos revelará tudo que Jesus fez e ensinou, mas que não damos conta de absorver completamente.


É o Espírito Santo que nos dá o conhecimento da vontade do Pai e dos Seus projetos, para a nossa vida. Somente Ele é capaz de nos fazer compreender todo ensinamento de Jesus, inclusive as coisas futuras, aquelas estão por vir.


Por isso, nesta festa da Trindade Santa, somos chamados a nos deixar mergulhar no Espirito Santo, pois é Ele quem instrui e nos faz compreender as coisas do Pai e do Filho. que possamos, então, abrir-nos à Ele para compreendermos o mistério insondável da nossa fé, a Santíssima Trindade, comunidade de amor. Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo, Amém!

 

Pe. Almerindo da Silveira Barbosa, formado em Filosofia e Teologia, pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais, o colunista também possui especialização em Ensino Religioso, pela Faculdade do Noroeste de Minas (FINOM), e em Teologia Pastoral, realizada na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, em Belo Horizonte. Pe. Almerindo é coautor da coleção “Deus Conosco” e do livro Quem é esse Jesus e autor da obra A missa – Conhecer para viver, também publicado pela Editora Vozes.

47 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo