• Redação

Santa Missa: respondemos perguntas frequentes sobre a celebração

Atualizado: 30 de Abr de 2019

Você sabe, por exemplo, quando fazer a genuflexão?

Durante a formação da catequese, é comum que o catequizando tenha algumas dúvidas sobre a celebração da Santa Missa. Para ajudar o catequista, conversamos com o Padre Almerindo da Silveira Barbosa, autor do livro “A missa: conhecer para viver” (Editora Vozes, 2016), que respondeu algumas das dúvidas mais frequentes. Confira!

"Mais do que o ritualismo vazio e sem sentido é preciso vivenciar o que se celebra, que é o Mistério de Cristo", Pe. Almerindo

Blog da Catequese: O que é a Santa Missa? Por que ela é chamada de “Santa”?


Pe. Almerindo: A Santa missa é a celebração do Mistério Pascal de Cristo, isto é, celebração da vida, morte e ressurreição de Cristo. Ela é o coração e o cume da vida da Igreja. Chamamos a Missa de Santa, porque celebramos nela o santo mistério de nossa fé. É santa porque não reunimos apenas para nos encontrar ou partilhar o pão, mas nos reunimos por obediência ao mandamento do Santo dos Santos, Jesus Cristo: “Fazei isto em memória de mim”.


BC: Palmas na missa: pode ou não pode?


Pe. Almerindo: Não acredito no pode e não pode. A norma deve está a serviço da vida. Acredito que devemos observar cada momento ritual da Santa Missa. Não vejo que é salutar bater palmas em um momento, como o ato penitencial, que é de meditação profunda, mas ao mesmo tempo se estamos em um momento de louvor, de acolhida, de vivas ao santo padroeiro, a Jesus Cristo, qual seria o problema fazer a manifestação, através das palmas?. Mais do que o ritualismo vazio e sem sentido é preciso vivenciar o que se celebra, que é o Mistério de Cristo.


BC: Depois do Pai Nosso, é correto dizer “amém”?


Pe. Almerindo: Não é correto dizer amém ao final do Pai Nosso, pois, na missa é o único momento dessa oração em que não se diz o amém. A oração inteira só termina no final da oração da paz. Dizer amém é dizer que concorda, que aceita com tudo que acabou de rezar. Portanto, se a oração se estende até a oração da paz, não tem sentido dizer que concorda, que aceita, se ela ainda não terminou.


BC: Quando devemos fazer a genuflexão?


Pe. Almerindo: Genuflexão é o gesto de dobrar o joelho em sinal de saudação e de respeito a Jesus. Então, dentro da liturgia, só se faz este gesto se estiver diante de Jesus Sacramentado. Caso contrário, faz-se a vênia, que é o gesto de inclinar a cabeça, em sinal de respeito.

BC: Durante a homilia, o sacerdote fica na mesa da Palavra (ambão) ou pode fazê-la no corredor, entre os fiéis?


Pe. Almerindo: A homilia é parte integrante da Liturgia da Palavra, que é reservada ao sacerdote. Ela é a explicitação da Palavra que foi proclamada, passando pelos ouvidos e que precisa ser meditada e compreendida, para chegar ao coração da pessoa. Sendo ela parte integrante da Palavra o local próprio para se proferir é diante da Mesa (ambão), mas não vejo empecilho se o padre fica em frente à assembleia para realizar a mesma. Ficar andando para lá e para cá, já é algo meio complicado, pois acabada distraindo e tirando a atenção da assembleia, que deve se concentrar no essencial.


BC: Qual deve ser a postura dos fiéis durante as orações na missa: de pé, sentados ou ajoelhados?


Pe. Almerindo: Cada gesto tem seu significado próprio dentro da celebração da Santa Missa. Ficar de pé é o gesto de disponibilidade para estar com o Senhor; Ficar sentados é gesto de disponibilidade para escutar; Ficar ajoelhados é gesto de adoração ao Senhor. Portanto, dentro da liturgia da Santa Missa, cada momento tem seu gesto e seu valor. É por isso que nos ritos iniciais, por exemplo, se participa da Missa de pé; no momento das leituras ficamos sentados, para escutar e, no momento da consagração, ajoelhados, para adorar o Senhor.


BC: É permitido acompanhar a liturgia através do celular?


Pe. Almerindo: Na liturgia da Missa somos chamados a abrir os nossos ouvidos e coração para escutar o Senhor, estar com Ele. É momento de profunda intimidade com o Senhor. Portanto, o correto é escutar e não acompanhar. O celular, o folheto, liturgia diária, etc, servem para prepararmos a liturgia ou para rezarmos individualmente e não com a assembleia reunida.


BC: Em quais dias o cristão tem o dever de participar da missa?


Pe. Almerindo: Faz parte do dever cristão, participar da Santa Missa aos domingos e dias santos de guarda, conforme reza um dos mandamentos da Igreja. Nestes dias é dever do cristão se reunir com a comunidade para celebrar a sua fé, não no sentido de algo obrigado, mas de quem assumiu, livremente, um compromisso e por isso é fiel a ele.


BC: Participar ou assistir a missa? Qual o termo correto?


Pe. Almerindo: Nós assistimos a Santa Missa pelos meios de comunicação. Quando nos dispomos a ir a Igreja devemos participar da Santa Missa, isto é, se envolver inteiramente, como um agente ativo, cantando, respondendo, etc. Assistir a missa parece-me algo próprio de quem não quer se envolver.


Pe. Almerindo da Silveira Barbosa é pároco da Paróquia São Sebastião – Lagoa da Prata/MG e assessor Diocesano da Catequese – Diocese de Luz/MG, além de autor assessor de catequese de Editora Vozes.

0 visualização

Contato

Loja Virtual

Site Institucional

Desenvolvido por - Editora Vozes