• Redação

Reflexão do Evangelho: Este é meu Filho Amado. Escutai-O! | Lc 9,28b - 36

2º Domingo da quaresma Lc 9,28b-36


Por Pe. Almerindo da Silveira Barbosa


Neste domingo, segundo do tempo quaresmal, o Evangelho nos apresenta o episódio evangélico da Transfiguração do Senhor. Jesus leva para o alto da montanha, três de seus discípulos, para que eles possam experimentar, mesmo que por um instante, o que será na glória.


Jesus subiu, à montanha, com Pedro Tiago e João, para rezar. Enquanto rezava, a glória do céu apareceu. “Seu rosto mudou de aparência e sua roupa ficou muito branca e brilhante”. Naquele clima gostoso de oração e de intimidade com a glória de Jesus, Pedro, depois de despertar, relata para Jesus e para os outros companheiros, que é bom estar ali. Propõe construir tendas para permanecerem naquele lugar.


Pedro ainda estava falando quando veio do céu uma nuvem e os cobriu com sua sombra. Da nuvem saiu uma voz dizendo que Jesus é o Filho de Deus, o escolhido. Os discípulos devem escutá-lo.


Ao meditarmos este trecho do Evangelho de São Lucas podemos extrair muitos ensinamentos. São eles que nos ajudam a crescer na intimidade com o Senhor. Apresento três destes ensinamentos, que são profundamente significativos para nós.


O primeiro é que, quando Jesus levou para a montanha, Pedro, Tiago e João e, diante deles se transfigurou, quis mostrar-lhes a glória que o Pai preparou para eles e para todos nós. Por isso, desde agora, precisamos ter o espírito voltado para as coisas que dizem respeito ao alto, às realidades que transcendem a realidade terrena.


Segundo ensinamento é que, vivemos neste mundo, mas não somos deste mundo, como nos diz o apóstolo. Caminhamos peregrinando para o céu. Enquanto estamos no mundo somos convidados a fazer a experiência da glória de Deus na montanha, mas não devemos permanecer nela. Neste mundo nossa missão é na planície. É nela que preparamos nossa morada nos céus. Por isso o trecho do Evangelho diz que Pedro não sabia o que estava pedindo ao querer permanecer, em tendas, na montanha.


Por fim, percebemos como a oração com Jesus pode nos abrir as portas do céu e nos desvendar os planos do Pai para a nossa vida. Os apóstolos viram perto de Jesus as figuras de Moisés e Elias, que representavam a Lei e os profetas. É pela oração, na intimidade com o Senhor, que experimentaremos, ainda na terra, as alegrias do céu.


Caminhando para a Páscoa somos convidados a fazer a experiência de subir, com Jesus, a montanha, para viver com ele e os três discípulos a alegria da comunhão com o Senhor. Que as realidades do caminho não nos desanimem e, em meio as dificuldades, consigamos perceber os sinais da ressurreição, ouvindo a voz daquele que continua falando aos nossos ouvidos: “Este é o Meu Filho Amado, escutai-O”.


 

Pe. Almerindo da Silveira Barbosa, formado em Filosofia e Teologia, pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais, o colunista também possui especialização em Ensino Religioso, pela Faculdade do Noroeste de Minas (FINOM), e em Teologia Pastoral, realizada na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, em Belo Horizonte. Pe. Almerindo é coautor da coleção “Deus Conosco” e do livro Quem é esse Jesus e autor da obra A missa – Conhecer para viver, também publicado pela Editora Vozes.

34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo