• Redação

Reflexão do Evangelho: Vai, a tua fé te curou! | Mc 10, 46-52

30º Domingo do Tempo Comum


Por Pe. Almerindo da Silveira Barbosa


Hoje, no texto do Evangelho, encontramo-nos com Jesus que, mais uma vez, toca a vida e o coração das pessoas. Desta vez o cego Bartimeu é tocado por Ele. Quando vê que Jesus está passando pelo caminho, corre ao seu encontro e começa a gritar, pedindo para ter piedade dele e que pudesse curá-lo. Jesus, imediatamente, escuta seu grito e diz para ter coragem, levantar e andar, porque há um chamado para segui-lo.


Aquele homem tinha em seu coração o desejo de vê Jesus. Conhecer melhor aquele que sua fama já havia se espalhado por todos os cantos. Diante da pergunta de Jesus, “o que queres que eu te faça?”, Bartimeu responde efusivamente, dizendo que quer o ver.


Para além da visão dos olhos físicos, o cego Bartimeu deseja conhecer Jesus Cristo. Por causa do seu desejo, ouve do Senhor para que possa acompanhá-lo, porque sua fé o salvou. Ou seja, ele crê em Jesus. Acredita que Ele pode transformar sua vida. Por isso passa a “seguir Jesus pelo caminho”.


O que aconteceu com o cego de Jericó pode acontecer, também, com cada um de nós. O segredo para sermos curados é a fé. Aquele homem tinha o desejo de ser curado e queria conhecer e seguir Jesus. sua fé fez com que ele, que além de cego, era aleijado, imediatamente saísse andando atrás de Jesus. Por isso, de acordo com nossos desejos e apelos do coração, o Senhor vem em nosso socorro e nos faz caminhar com Ele.


Para todos nós Jesus faz a mesma pergunta que fez para Bartimeu: “o que queres que eu faça?” Quando perceber que o pedido é feito com verdadeira fé de que Ele poderá nos ajudar, receberemos aquilo que desejamos. Sempre Ele nos chama e nos atende. Basta que tenhamos ouvidos abertos para escutá-lo e fé suficiente para sustentar o que desejamos.


Somos, hoje, convidados a tomar consciência de que Jesus nos chama e nos atende. Que possamos ter coragem de dizê-lo que desejamos ver e que, vendo-o, tenhamos disposição para nos despojar do nosso manto do orgulho, da vaidade e da cegueira espiritual, para termos forças para caminhar com Ele.


Que o Senhor nos ajude a ter disposição, força e coragem para tirarmos de nós a cegueira espiritual. Ela nos impede de ver com clareza e de contemplar a beleza que Jesus nos oferece. O cego não é aquele que não vê, mas aquele que não quer ver.


Jesus, todos os dias, visita o nosso coração. Cegos espiritualmente, não conseguimos perceber essa presença em nós. por isso precisamos pedir, como Bartimeu, “Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!”, para que possamos perceber sua presença acalentadora e transformadora em nossa vida. Amém!

Pe. Almerindo da Silveira Barbosa, formado em Filosofia e Teologia, pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais, o colunista também possui especialização em Ensino Religioso, pela Faculdade do Noroeste de Minas (FINOM), e em Teologia Pastoral, realizada na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, em Belo Horizonte. Pe. Almerindo é coautor da coleção “Deus Conosco” e do livro Quem é esse Jesus e autor da obra A missa – Conhecer para viver, também publicado pela Editora Vozes.

33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo